Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




O Circo e o pragmatismo

por António Canavarro, em 14.09.15

WP_20150912_017.jpg

Como habitualmente, realizou-se na Casa-Museu mais um exercício de democracia, convidando as forças políticas correntes às eleições legislativas de 4 de Outubro a participarem num debate, que este ano teve duas variantes: Os eleitores interrogaram os futuros eleitos, como convida-mos as novas forças concorrentes, como as que habitualmente não tem expressão eleitoral.

 

O debate realizou-se em dois distintos, dias 12 e 13 de Setembro, sendo que foi realizado entre as forças de menor expressão, ou que concorrem pela primeira vez, teve maior interesse e foi mais estimulante.

No dia 12, na mesma mesa, estiveram presentes os suspeitos do costume e duas novas forças políticas, o Livre -Tempo de Avançar e o Partido Democrático Republicano, uma força política que, dependendo do seu sucesso eleitoral, poderá ou não ser um “caso de estudo”. O PDR pode ser visto como uma espécie de força “unipessoal”, pois gravita em volta de um nome: o Eurodeputado António Marinho e Pinto. Os do costume apresentaram as cassetes do costume, inclusive os partidos do arco da governação. O que, reconheça-se, era espectável!

 

Habitualmente a campanha eleitoral, pelo folclore que nos habituou, confunde-se com um circo. Há lá de tudo: palhaços, malabaristas e, claro está, a assistência que tem, dê para onde der, a faca e o queijo na mão. E por muito que o português queira mudar, dando oportunidade a outros, sabe que, tal como os artistas nos seus malabarismos políticos, precisa de uma rede. De uma rede que o proteja de uma queda fatal, ou seja, caucionando o seu sufrágio ora na coligação, ora nos socialistas. Porque, ganhe quem ganhar, as políticas serão invariavelmente as mesmas! Aliás, não é por acaso que as “geometrias ideológicas” foram arrumadas na gaveta. Tinha ser que assim. A situação do país, pese embora em desfavor de um certo saudosismo, obriga-o. Hoje, tanto o PS como a coligação, são “farinha do mesmo saco”!

 A 4 de Outubro, ganhe quem ganhar, vencerá o pragmatismo!

 

publicado às 12:54




Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D




Links

Blogs e Jornais que sigo

  •