Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Debate nas telefonias

por Maria Teixeira Alves, em 18.09.15

Dos resumos que vi, encontrei um Pedro Passos Coelho mais seguro, mais determinado, que corrigiu as falhas do debate anterior na Televisão. Pedro Passos Coelho ganhou o debate. O modelo de debate que foi transmitido na TSF, Antena 1 e Renascença, foi mais eficaz do que o televisivo. E os moderadores do debate na telefonia eram melhores do que os da televisão, talvez porque sejam verdadeiramente jornalistas de economia, área fundamental do debate.

António Costa, que na televisão tinha deitado ao tapete Pedro Passos Coelho com a Segurança Social, que se tinha perdido no palavrão "plafonamento", desta vez o feitiço virou-se contra o feiticeiro e o líder socialista enredou-se nas suas propostas para a sustentabilidade da Segurança Social. Pedro Passos perguntou e António Costa não respondeu: como vai poupar 1000 milhões na segurança social?

Este debate foi mais esclarecedor do que o primeiro. Desta vez houve Europa e refugiados, temas ausentes no anterior debate. Houve impostos, dívida, segurança social e educação.

Questionado sobre que prestações sociais o líder do PS admitiu vir a exigir condições de recurso (i.e., o conjunto das condições que o beneficiário deve reunir para poder solicitar determinada prestação social)? António Costa não respondeu: "Iremos fazer a avaliação do conjunto das prestações", disse primeiro.

Passos Coelho não largou: "Que prestações não estão ainda sujeitas a condições de recursos que o dr. acha que podem permitir à Segurança Social poupar mil milhões?". E insistiu: "É muito dinheiro em quatro anos - tem de dizer quais são as prestações sociais afectadas por isto. Se não sabe é porque tem um número que não sabe a que diz respeito". António Costa não soube responder "será negociado no momento próprio em concertação social", limitou-se a afirmar, e lá voltou a atirar com o programa da coligação que inclui 600 milhões de cortes nas pensões.

Pedro Passos Coelho desta vez não deixou passar o "Quem é afinal o responsável pela resolução da dívida da Câmara de Lisboa?"

 

 

publicado às 00:28




Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D




Links

Blogs e Jornais que sigo

  •