Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Escrito na pedra

por António Canavarro, em 05.08.19
«A arte necessita da filosofia, que a interpreta para

dizer o que não é capaz de dizer, ao passo que isso

só pela arte pode ser dito, ao não dizê-lo.»

Adorno

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:12

A inocência tudo modifica

por Maria Teixeira Alves, em 22.07.19

IMG_5775.JPG

O título, confesso, é retirado do livro da Agustina, "Pessoas Felizes", mas adoptei-o (é fácil adoptar ideias da Agustina).

Serve isto de pretexto para um post algo confessionista sobre o poder da inocência na dinâmica das relações humanas.

Inocência que fiz sempre questão de perservar.

Um dia disseram-me que havia uma menina de 15 anos dentro de mim e que emergia facilmente. Achei que havia algo de sábio nessa observação. Às vezes as coisas mais importantes saem da cabeça das pessoas mais triviais.

A inocência é a porta para tudo o que é importante, sem inocência tudo é calculista e perverso. Eu penso que o ter conseguido manter uma certa dose de inocência me tornou mais importante do que todo o meu conhecimento e estética. Ter um bom boneco (sei que tenho) não chega  e ter uma perspicácia fora do comum também não. Já a inocência permanente pôs-me no mapa (há quem lhe chame bondade). Para o bem e para o mal. A inocência atrai o melhor e o pior dos outros.

A inocência e a sua importância na humanidade devia ser alvo de um qualquer tratado sobre a natureza humana.

Agustina escreveu um dia que a inocência é a mais excepcional e a mais temível das estruturas humanas, penso que a lucidez de Agustina não desilude também aqui.

Eu sempre procurei conservar um lado inocente, o que me dá uma distância saudável face a tudo o que é calculista e material e nessa medida dá-me uma certa liberdade, mesmo que o fascinio que essa inocência exerce possa acabar por redundar numa prisão.

A importância da inocência no amor, por exemplo, é algo subestimado nas análises sobre a humanidade.

Eu acredito que devo à minha inocência e à minha sinceridade, e à consequente postura direta e destemida, tudo o que conquistei.

Pedras no caminho? Se tiver que deixar pessoas pelo caminho, mesmo que com enorme dor e desgosto, deixo, porque sou fiel a essa inocência e a essa sinceridade que me põe noutra dimensão.

Já deixei pelo caminho muitas pessoas importantes. Já rasguei a alma imensas vezes para me manter fiel a mim mesma, fiel a essa sinceridade e à inocência do amor puro. Se tiver de arrastar comigo a tortura da perda, que seja. Desde que me mantenha fiel a uma sinceridade que a sociedade tende a considerar inocente.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:33

A estratégia entre carne picada o azeite e os pães...

por António Canavarro, em 15.07.19

 

O Português, sempre que consegue um feito de registo regozija de alegria, como se tivesse regressado aos tempos áureos: mas a História não se repete.

Depois do 25 de Abril, e com uma mão à frente e outra atrás, regressamos à casa de partida e a história foi-se, como o vento a tivesse levado.

Estamos, desde meados da década de 80 na Europa: mais por uma questão de barriga, do que de cabeça, pese embora – e nem devo ser o único a pensar assim – reconheça que o único caminho é mesmo uma rota para o federalismo, desde que este seja um sentimento generalizado. Também defendo – já foi defendido no século XIX – uma União Ibérica. Não com a Espanha, tal qual a conhecemos mas com todos os povos que compõe a Península; era bom para nós, e um “rastilho” para as demais nações europeias – e não “Estados Nação” que compõe o que é hoje a União Europeia, i.e., em que cada um tenho o direito de escolher o caminho a seguir.

Isto vem a propósito de um ensaio, comprado entre 1 quilo de carne picada, 1 litro de azeite e  um par pães: chama-se “ Pode Portugal  ter uma estratégia?”, escrito por Bruno Cardoso Reis. Só espero que seja suculento: Portugal precisa de uma estratégia, de uma estratégia (ainda não li o livro, que farei numa viagem ao norte) que passa invariavelmente por Bruxelas e os eurocratas.

O ensaio naturalmente tem a chancela da Fundação Francisco Manuel dos Santos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:02
editado por Maria Teixeira Alves às 22:14

Exames

por António Canavarro, em 12.07.19

Isto até poderia ser uma comédia de costumes ou lá o que seja. Mas, convém  (tem graça) saber que nos exames nacionais o tuga já se safa (e 10, valendo pouco, é sempre 10) em português e em matemática. O que é bem bom? Em tempos de globalização, onde a escrita é a mais abreviada possível, do tipo – e isto é mesmo literal - meter “o Rossio na Betesga, tipo: “pq” em vez de porque, etc! Assusta-me, porém, o insucesso nas provas de filosofia. Ou seja, eles até sabem escrever… mas não tem um pensamento próprio, isto para não falar – o que naturalmente vinha nesses exames, do conhecimento do pensamento dos grandes filósofos.

Em resumo:  Eu penso, até sei escrever, mas (logo) vou ter uma má nota! E que falta faz a filosofia - bem mais que a nossa língua ou a linguagem universal dos números - para sabermos viver! Aliás, o que conhecerão os nossos jovens de ética? Se calhar, o mesmo que os seus pais: patavina!

E convém recordar, à boleia de um livro do Luc Ferry, que a filosofia ajuda “Saber viver”! Enfim… nem todos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:35
editado por Maria Teixeira Alves a 15/7/19 às 22:13

Gelado negro

por António Canavarro, em 12.07.19

Este gelado, e os galados sejam negros ou de frutas, caiem sempre bem. É o caso deste "Helado Negro", seguramente uma das boas "iguarias" musicais do ano.

Deliciem-se!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 12:34

Woody Allen, sempre sábio

por Maria Teixeira Alves, em 12.07.19

Imagem relacionada

"Cada pessoa é um fenómeno que nunca mais se vai repetir em lugar algum"

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:19

A verdade na banalidade

por Maria Teixeira Alves, em 07.07.19

Lido algures no cyberespaço: "Os excessos emocionais geram sempre a desarmonia."

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:15

Vale a pena ver num cinema perto de si: Pavarotti

por Maria Teixeira Alves, em 07.07.19

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:38

Hoje, reina a tristeza

por António Canavarro, em 06.07.19

Mas a memória está aqui, dentro de mim!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:01

Escavação sonora

por António Canavarro, em 03.07.19

Tenho sempre uma necessidade, porque a rotina aborrece, de encontrar coisas novas, que me surpreendam. Seja um livro, um filme de preferência independente ou um disco de alguém ou de uma banda para mim completamente desconhecida.

É o caso dos britânicos Far Caspian, que os deixo aqui para o deleite e porque, se tudo correr bem, irão bem longe: foi uma bela escavação sonora.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:23
editado por Maria Teixeira Alves às 02:34



Bloggers convidados

António Canavarro

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D




Links

Blogs e Jornais que sigo

  •