Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Cérebros fogem de Portugal...

por Maria Teixeira Alves, em 24.11.10

O Público põe na primeira página: «A geração mais qualificada de sempre está a deixar o país». Pois pudera, as oportunidades aqui só surgem depois de serem valorizados lá fora...

 

Lembrei-me de uma capa antiga de um jornal que dizia «Cérebros fogem de Portugal» e que acrescento, alguns deixam cá os donos!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:12


1 comentário

Sem imagem de perfil

De António Pereira de Carvalho a 24.11.2010 às 22:47

“Entre nós a mediocridade é ainda decreto e a inveja a portaria que a regula”
Expresso, 16 de Maio de 1992
João Lobo Antunes

“Refugiou-se com unhas e dentes na disciplina da actividade profissional, e foi assim que descobriu que pertencia a uma classe profissional infestada de medíocres, controlada por cobardes e saqueada por oportunistas – ainda por cima, com o pressentimento desagradável de que as outras classes profissionais não seriam assim muito mais dignas do que a sua.”
Clara Pinto Correia, Visão, 9 de Maio de 2002 (página 24, A DERIVA DOS CONTINENTES)

“É preciso lutar pela excelência”
"O grande problema do país é que, em regra, tem objectivos medíocres. Não luta pela excelência nem pelo primeiro lugar. Não tem estratégia nem une esforços.”
Carlos Melo Ribeiro Expresso (Caderno de Economia & Internacional, Edição nº. 1678, páinas 1 e 6) de 24 de Dezembro de 2004

“... Ao contrário do que sucede nos países subdesenvolvidos, os «cérebros» portugueses desejam voltar. Quem não os quer é o país onde viram a luz do dia. As razões são múltiplas, avultando o facto de as universidades nacionais serem organizações burocráticas e o de as empresas serem dirigidas por gente provinciana. E, no entanto, quão proveitoso seria tê-los cá Para o constatar, basta ler a lista das coisas que declaram ter aprendido lá fora: o amor pela competição, o pragmatismo, a ambição, a disciplina, a aceitação da regra do up ou out e a capacidade de correr riscos ...”
Maria Filomena Mónica
28.5.2006


Mas quais cérebros? Mas qual geração mais qualificada de sempre? Como bem disse Augusto Mateus há largos anos, “em Portugal passou-se a valorizar infinitamente mais as certificações do que as competências”. É a tal “cultura” das aparências, puras. 10, 20 50, 100 alunos muito bons, que os há sempre? Ou os milhares e milhares que têm sido enganados de todas as formas e feitios e que foram “apanhados pela irremediável mediocridade indígena”? Entre 1994 e 2001 passaram-me quarenta licenciados pelo escritório. Licenciados em Direito, pela Católica e pela Faculdade de Direito de Lisboa, em Geografia, História, Antropologia, etc.. Não sabem ler, nem escrever, uma incapacidade de concentração brutal, as mais elementares regras de urbanidade faltam... A impreparação para a “dura realidade da cozinha” é total. A ambição é nula. A ideia da “segurança” um objectivo. 98% procuram um emprego, não um trabalho. Mas quantos empresários, dignos deste nome, investem neste caldo de incapacidade, impreparação, impunidade? Mais de 95% do tecido empresarial americano são pequenas e médias empresas... Mesmo quem consiga reconhecimento no “exterior”, dificilmente encontrará em Portugal oportunidades no futuro...

Não temos recursos. Não temos competências. De que estávamos à espera? Ou nos aparece petróleo no Beato ou resta-nos empobrecer gradualmente, de forma irreversível. Sou um optisma realista.

Não percebi o sentido do segundo parágrafo do post.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.




Bloggers convidados

António Canavarro

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D




Links

Blogs e Jornais que sigo

  •