Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Peso "pluma"

por António Canavarro, em 15.12.11
Há uma cábula, em inglês técnico, que circula pelos diversos organismos estatais na expectativa que fiquemos financeiramente mais delgados! Procura-se, avidamente, o peso "pluma"!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:25

Sofrimento como condição de bondade

por Maria Teixeira Alves, em 15.12.11

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:03

Rei de Portugal e dos Algarves

por Maria Teixeira Alves, em 14.12.11

Sábios os antigos que destinguiam portugueses dos algarvios. Aquela gente é doutra cepa.... menos conformista e mais violenta, são mouros senhor, são mouros!*

 

*a propósito dos desacatos na A22, por o Governo ter introduzido portagens.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:26

Medicina alternativa

por António Canavarro, em 14.12.11

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:29

O remédio

por Maria Teixeira Alves, em 13.12.11

O remédio para a Europa é haver um governo comum, um Ministério das Finanças comum, sim, um federalismo. Esse remédio é sobretudo bom para Portugal, sim para Portugal. Portugal só pode ser gerido por estrangeiros, doutra maneira nunca passará da cepa torta. As nossas elites são lamentavelmente fúteis e tudo gira à volta dos auto-benefícios. Mesmo as pessoas inteligentes sucumbem a estes valores menores de defenderem para o país aquilo que os beneficia e eles.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:40

A Eternidade e o Desejo

por Maria Teixeira Alves, em 12.12.11

A Eternidade e o desejo são duas coisas tão parecidas, que ambas se retratam com a mesma figura

 

Padre António Vieira, Sermão de Nossa Senhora do Ó

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:20

Shadowlands

por Maria Teixeira Alves, em 12.12.11
"The pain then is part of the happiness now"

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:42

A jarra e as flores ou o lamento de um europeísta

por António Canavarro, em 11.12.11

Vincent van Gogh (1888)
Doze Girassóis numa jarra

 

Muito se tem escrito sobre a crise da Euro de modo a alavancar uma crise estrutural na construção europeia, i.e., que esta crise significa ou poderá traduzir o fim deste edifício erigido dos escombros da II Grande Guerra! Tal visão é, a meu ver, redundante e sem sentido! O Euro, em si mesmo, não é um fim é um mecanismo, um meio!

Imaginemos que estamos a comparar a conexão entre a jarra e as flores, entre o "continente" e "conteúdo". Imaginemos agora que a jarra é a União Europeia e que as Flores simbolizam o Euro. E chega-se à conclusão que este exercício é limitador. Todavia a realidade é mesmo esta. Entre o todo e a parte, os analistas optaram pela parte; só olham para as flores! Assim, concluo-o, que, na maior parte das análises que têm sido feitas – mesmo ao nível dos diversos directórios – há um grande desinteresse pelo estado da jarra, do todo, e uma preocupação desmedida com “a frescura” do ramalhete, pelo que seria significativo que alguém perdesse um pouco de tempo a ver e, se possível, a reparar qualquer possível fenda. Pois pode vir a ser tarde demais!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:29

Heaven can wait

por António Canavarro, em 11.12.11

 

Recordo aqui "Céu pode esperar"( de 1978), o primeiro filme realizado por Warren Beatty, como metáfora a mais um aniversário de Manuel de Oliveira. E já vão 103 anos!


Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:28

Tiago Bettencourt, e a poesia desta letra

por Maria Teixeira Alves, em 11.12.11

A poesia onde não se espera.

 

Tiago Bettencourt (Amor Maior)

 

Quem quiser ouvir é p'ra ficar
Quem quiser prever pode sair
Mas quem quiser ouvir é p'ra ficar
Se eu nunca fiquei foi por sentir
Que a tristeza é sombra que nos cai
Quando tudo a volta nos destrói

De tudo quando todos querem ser
De todos quantos nunca vão ceder
Poucos são os que não vão pisar
Tudo a nossa volta p'ra passar
Será que é assim que a roda vai girar
Ou é só mais um corpo fraco e cego demais

P'ra mudar, meu amor vem me escrever
Vem me lembrar de oferecer
Não me esquecer de te inventar o amor maior

Quem guarda segredo quer dizer
Quem guarda tesouro quer mostrar
Quem não tem vergonha quer provar
E todos sabem como tem que ser
Se o mundo vive na televisão
Ninguém vê que fama é solidão

Ouve o barulho a prometer a velocidade
Onde todos vão comer, sorrir, amar sem ser verdade
Já ninguém tem força p'ra sair da ilusão
Liberdade construindo uma prisão
Será que é assim que a roda vai girar
Ou é só mais um corpo fraco e cego demais

P'ra mudar, meu amor vem me escrever
Vem me lembrar de oferecer
Não me esquecer de te inventar o amor maior

Vê o olhar vazio
O olhar de quem perdeu
O olhar de quem vendeu
Tudo a nossa volta é p'ra passar

P'ra mudar, meu amor vem me escrever
Vem me lembrar de oferecer
Não me esquecer de te inventar o amor maior.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:27




Bloggers convidados

António Canavarro

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D




Links

Blogs e Jornais que sigo

  •