Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Humor inteligente

por Maria Teixeira Alves, em 11.03.10

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:37

O que é uma pressão?

por Maria Teixeira Alves, em 10.03.10
Num tempo em que há escutas telefónica a relatar tentativas de pessoas com poder, qualquer que ele seja, de condicionar a imprensa, convém que sejam os jornalistas a falar do que é isso da pressão. Toda a gente diz que sempre houve pressão por parte dos políticos, dos empresários, no limite, de todas as pessoas que são alvo de notícia. Dúvidas houvesse, e estão aí as agências de comunicação para o provar.
Mas também é verdade que o problema não está na tentativa de pressão, mas sim na eficácia dessas tentativas, ou seja na cedência a pressões. É verdade, mas só até certo ponto. Também é verdade que quem diz isso quer obviamente pôr o ónus da culpa nos jornalista.
E isso parece que é assim, parece, mas não é.
Não são só os telefonemas directos do primeiro ministro, ou não são de todo esses telefonemas, se os jornalistas, e em particular os Directores, não cederem 'em toda a linha editorial'.
O que pressiona é a mudança de propriedade. De repente um canal de televisão, um jornal, etc, é comprado por partes relacionadas com o Governo, ou com outro qualquer protagonista de poder, não importa qual, e os jornalistas sentem que já não podem escrever livremente sobre um determinado assunto, sob o perigo de ficarem sem emprego. Não são os telefonemas, é a possibilidade de se ficar sem emprego se se continuar a investigar um determinado assunto, que pressiona. É por isso que é preciso uma autoridade com poderes reais para defender os jornalistas, incluindo, e assim for preciso, do próprio canal de televisão ou jornal onde trabalha. Só assim se garante a liberdade de imprensa num país que é curto em capacidade financeira para ser independente do poder.
É também importante dizer que Portugal é um país de 'cunhas', sem elas é impossível existir aqui, pelo que há poderes invisíveis que pressionam. São aquelas teias de relações que não estão instituídas formalmente e que de repente se fazem sentir. Essas nunca vão ser provadas, nem demonstradas em comissões de ética.
Há ainda outra forma de asfixia democrática, esta mais difícil de contornar. Estou a falar na ditadura do pensamento único, que é legitimado pela imprensa. A própria imprensa contribui para a asfixia democrática, ao condenar, ridicularizando, as ideias que não coincidem com as que querem instituir na opinião pública. A imprensa contribui para a formação de mentalidades, e não abdica desse papel, e aí não gosta do contraditório. É nas ideias feitas, que não podem ser rebatidas, que está também a asfixia democrática. A ridicularização de quem pensa de maneira diferente, para calar opiniões dissonantes é um método muito socrático, diria eu, mas deste Sócrates que temos cá por casa, não do outro, da antiga Grécia. Porque esse defendia precisamente que não déssemos por certo nenhum conceito, nem nenhuma certeza, pois só assim poderíamos chegar ao conhecimento .

Para finalizar quero dizer que sou jornalista de economia, sempre escrevi notícias incómodas. Comecei como jornalista no O Independente, que era um jornal incómodo. Lá escrevi uma notícia sobre uma construtora, que pôs a a sua realidade financeira, e que levou à falência da empresa, estou a falar da Somec.
Escrevi, já no Semanário Económico, sobre a Portugal Telecom (raramente o que escrevi agradou à empresa); escrevi notícias que não agradaram ao BCP de Jardim Gonçalves, ao BES, à EDP, and so on. Fui sempre pressionada, mas nunca tive medo das pressões. Nunca deixei de respeitar as pessoas/empresas sobre quem escrevi, nem eles a mim.
Finalmente, escrevi um livro sobre a crise do BCP, e recusei-me a alinhar pela opinião dominante. Fui fortemente criticada, a começar pela pessoa que convidei para apresentar o meu livro. Sofri as pressões das críticas que vinham de todos os lados, desde os reguladores, dos amigos, dos jornalistas, dos envolvidos na história. Arrisquei a escrever um romance sobre histórias contemporâneas, fazendo retratos de carácter de pessoas vivas. Fui criticada por o fazer, e só as vozes da crítica se calaram quando viram que o livro escorregava bem e tinha sucesso. E que afinal não ofendia ninguém. Nunca fraquejei.

Mas acho que nunca como hoje se sente tanto pudor na escrita, tanta contenção nas palavras usadas. Basta ler os jornais para sentir a "auto-censura". Nunca como hoje sinto que qualquer passo em falso pode ter um preço.
Hoje dou por mim a ter medo dos telefones poderem estar a ser escutados. Não mando mails que possam comprometer pessoas (desde que vi a baixaria do DN publicar um mail de um jornal concorrente, a divulgar a fonte de um jornal concorrente, em vésperas de eleições, e ainda por cima a ser elogiado por uma parte dos jornalistas, isso condicionou a minha liberdade de confiança)

A única coisa que ainda faço, e temo que não seja por muito tempo, é escrever a opinião em blogs e nas redes sociais,. E mesmo aí sinto as pressões do "politicamente correcto" que não admite desalinhados.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:15

Câmara Clara

por Maria Teixeira Alves, em 09.03.10

Interessante programa do canal 2 de Paula Moura Pinheiro:

Cuidado com as palavras, as palavras criam realidades, diz Mário Simões psiquiatra

Hoje a gula é mais mal vista do que a homossexualidade.idem

Há memórias que herdamos de coisas que não vivemos (foram vividas antes de nós) e há memórias que temos de quando ainda nem tínhamos os mecanismos da memória desenvolvida. idem

Mário Simões é Psiquiatra; Professor da Faculdade de Medicina de Lisboa; Presidente do Conselho Consultivo da ALUBRAT em Portugal; Autor na área dos Estados Modificados de Consciência.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:49

Tim Burton

por Maria Teixeira Alves, em 09.03.10

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:37

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:32

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:30

Marketing directo, não, marketing óbvio

por Maria Teixeira Alves, em 08.03.10

Marketing mais do que óbvio:


«Zeinal Bava distribui flores a funcionárias e clientes
O presidente da comissão executiva da Portugal Telecom lembrou hoje, na celebração do Dia da Mulher, que a empresa incorporou no código de ética a "não discriminação pelo sexo, pela orientação sexual ou religião"».


O Presidente da Comissão Executiva da PT é exímio em marketing - que é a "ciência" que, pela força da imagem, torna verdade uma mentira, já se sabe.

No Dia da Mulher (o que quer que isto seja) chamou os jornais para o verem a dar flores às senhoras, em nome da "não discriminação". E lembrou que a empresa incorporou no código de ética "que não discrimina". Mas porque é preciso incorporar no código de ética? Antes do código de ética discriminava?

Mas afinal, a comissão executiva da PT, liderada por Zeinal Bava, tem quatro pessoas:
Luís Pacheco de Melo; Carlos Alves Duarte; Manuel Rosa da Silva e Shakhaf Wine.
Olha, não há nenhuma mulher!

As mulheres são boas é para pôr no código de ética!


Era escusada esta fantochada. Tão absurda como a existência de um Dia da Mulher.





Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:22

Quem mandou comprar a TVI?

por Maria Teixeira Alves, em 04.03.10

Aqui está um mistério ao nível do melhor de Agatha Cristhie, ou de Sir Arthur Conan Doyle.

A Portugal Telecom tentou comprar a TVI em Junho. Mas o presidente executivo da PT, Zeinal Bava, disse que "a intenção de compra da TVI nunca foi ao conselho executivo, nem ao conselho da administração da PT". Noutra notícia, é dito que "o antigo administrador da PT, Rui Pedro Soares, sublinhou esta tarde, na comissão parlamentar de ética, que nunca recebeu instruções de José Sócrates sobre o negócio de compra da TVI pela PT". Também o Primeiro Ministro em seu nome e em nome do seu Governo, disse: «A questão que se coloca sobre o processo de compra na TVI é se houve algum plano do Governo para essa compra - e a resposta é não. Nunca o Governo deu instruções para que se fizesse uma operação na TVI, nem através do dr. Henrique Granadeiro, nem através de nenhum administrador da PT», reagiu o primeiro ministro em resposta ao líder parlamentar do CDS.
Bem... só se pode concluir que Rui Pedro Soares e Henrique Granadeiro (chairman da PT, que disse ter avisado o PM da compra da TVI, um dia antes de o PM ter desmentido que sabia) queriam comprar a TVI, sem ninguém saber. Era um presente-surpresa!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:57

A idade da inocência e o respeito pela bondade

por Maria Teixeira Alves, em 03.03.10
"A primeira impressão que tive dele (Alberto Luís) foi a de uma inocência própria da juventude e um respeito pela bondade humana. Acho que foram essas as virtudes essenciais. Depois chegou o momento em que já não era juíza da situação e disse: «agora eu não resolvo» (....) Casemo-nos depressa, tenho tanto em que pensar...."

Agustina sobre o seu marido, que conheceu por anúncio.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:23

Ora aí está...

por Maria Teixeira Alves, em 03.03.10
Prof. Daniel Serrão: "A espécie humana é gonocórica, ou seja, tem uma forma corporal masculina e outra forma corporal feminina. Como em muitas outras espécies animais. As diferenças entre estas formas corporais dependem da diferente função dos órgãos, para que possa haver fecundação da forma feminina pela masculina. Os corpos dos seres humanos estão constituídos como corpos sexualizados. Portanto, em termos estritamente biológicos, o dimorfismo sexual está ordenado para a procriação. E este dado biológico não pode ser esquecido ou escamoteado, na ponderação da relação sexual entre corpos da mesma natureza sexual, ou seja, entre corpos masculinos entre si e corpos femininos igualmente entre si".

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:14




Bloggers convidados

António Canavarro

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D




Links

Blogs e Jornais que sigo

  •